domingo, 9 de novembro de 2008

Eterna Prisão

ou Um Beijo Que Não Houve


Eram apenas relevos sobre um álbum envelhecido. A figura de um cavaleiro e sua dama, cativos no instante de um beijo. O artesão que lhes dera vida nunca soube disto. Nunca os ouviu gritar, implorando pelo encontro que jamais viria. Algumas vezes, sobre a velha mesa, se nos aproximarmos o suficiente, podemos escutar-lhes o choro sentido. São dois amantes concebidos pelo frio coração de seu criador, separados pela eterna distância de um amor que não se consuma.


Aurora Scribens



3 comentários:

Bruno Cobbi disse...

Adorei o ar fúnebre, o pesar caloroso e a relação/inspiração multimídia!

Uma curiosidade? A trilha sonora é de um jogo de Playstation chamado Castlevania Symphony of the Night:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Castlevania:_Symphony_of_the_Night
Um pouco sobre o jogo em português.

O link em inglês é ainda melhor, com algumas imagens do jogo:
http://en.wikipedia.org/wiki/Castlevania:_Symphony_of_the_Night

Um clássico da franquia Castlevania! :D

Petê disse...

É belo. Muito belo.

Obrigado pelo comentário, querida. São as loucuras de um ser urbanóide.

Beijão

Nanete Neves disse...

Também gostei do ar fúnebre, antigo e classudo nessa história do amor que nunca se consuma. Embora o Bruno nos diga que é trilha de playstation, ficou com cara dos programas radiofônicos de antigamente. Legal essa mistura!